Roxo Por Ti CorinthiansE começa o centenário!
Neymar, Neycéu, Neyterra podem parar o Corinthians!

Nessa semana tivemos a prova de que nada pode ser menor que o Prantos, que cada vez mais está nas mãos de um moleque recém chegado à idade adulta, e os jornalistas ainda têm coragem de dizer que o jogo de ontem foi um clássico paulista, sinto informar, mas clássico paulista só o Derby mesmo.

Começamos dando uma super colher de chá, embora o zagueiro deles tenha pegado bem na bola, justo na hora em que eu havia ligado o computador e sintonizado a rádio. Não demorou muito e empatamos com Iarley (6 gols em 7 jogos), eu continuo não gostando dele, mas ele vem fazendo seus golzinhos, só não pode colocar salto alto, a equipe precisa do Ronaldo e do Dentinho sim!

Em seguida, houve a primeira falha do Júlio César desde que ele assumiu a camisa 1, após bater roupa, o Neymar não perdoou, mas Elias foi lá para empatar após jogada de Bruno César e assim acabou o primeiro tempo, tudo empatado.

O Adilson tem insistido em colocar o Bruno César para jogar como atacante e colocar o Jorge Henrique para armar o time, algo que funciona para confundir a marcação adversária, mas convenhamos que o time fica melhor quando eles jogam em suas respectivas funções de origem.

No segundo tempo, o jogo ficou mais perigoso para os cardíacos, dominamos o jogo, mas sempre que perdíamos a bola era um perigo, o senhor Boquita que o diga, mas ainda acho que ele tem potencial para o futuro, nos primeiros jogos do Paulinho ele era considerado horrível e hoje já é considerado substituto imediato do Ralf, então deixem o Boquita evoluir!

Para facilitar nossa vida, o Adilson resolveu tirar o Boquita e colocar o ex-lateral direito, agora volante, Moacir no lugar do Boquita para marcar o Neymar, e dessa vez ele conseguiu fazer direito, diferente de quando foi expulso no jogo do campeonato paulista.

Em seguida, veio a substituição que ninguém entende, saí o “atacante” Bruno César para a entrada do meia armador Danilo, assim o meia armador Jorge Henrique se torna o atacante Jorge Henrique. Não seria mais fácil só voltar o Bruno para a meia e avançar o Jorge Henrique? Talvez por isso o Bruno tenha saído de campo inconformado.

No fim, brilhou a estrela do técnico, com uma jogada ensaiada e uma assistência de Danilo (em impedimento) para Paulo André, viramos o placar. Depois disso veio a clássica alteração sai Roberto Carlos e entra Leandro Castán, nessa altura só para segurar o placar mesmo.

Quando acabou o jogo entre Grêmio e Flamengo na Band, pude ver os minutos finais do jogo do Coringão, toquinho pra lá, uma chaleira ali, um olé da arquibancada e as Meninas da Vila inconformadas com a derrota.

Podem até reclamar que o gol foi impedido, e foi mesmo, mas se quisessem algum ponto deveriam ter força para superar as adversidades, como nós fazemos.



Escrito por William às 17:23:29
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Como fazer um rodízio

Acho que todo mundo lembra do início do ano quando tinhamos o time da churrascaria, quando nosso treinador na época, Mano Menezes, instituiu o rodízio de jogadores, idéia muito mal sucedida, tendo em vista que não nos classificamos para as semi-finais do Paulista e fomos eliminados nas oitavas de final da Libertadores.

Se no ínicio do ano não deu certo, temos a situação contrária agora, mas isso porque o "rodízio" está sendo conduzido de forma mais inteligente. Sabem quando foi a última vez que repetimos uma escalação? Foi da 14ª para a 15ª rodada, quando pegamos Avaí e Bambis, respectivamente.

É bem verdade que esse rodízio está sendo imposto por contusões e suspensões, mas é inegável que está dando certo, temos o melhor ataque e somos os lideres, lembrando que eu não conto com um jogo a menos, pois é apenas um jogo a menos, não quer dizer três pontos a mais.

Diferente do início do ano, hoje sabemos nosso time base (Júlio César, Alessandro, Chicão, William, Roberto Carlos; Ralf, Jucilei, Elias, Bruno César; Iarley e Jorge Henrique) e ao longo dos jogos vai sofrendo alterações, que não acontecem de uma hora para outra. O melhor exemplo é o Paulinho, que sempre entra no jogos, seja como titular ou saindo do banco (só não lembro dele ter entrado contra o Grêmio), isso faz com que a entrada dele no time seja algo natural e olha que ele já entrou como 1º, 2º e 3º volante e ainda jogou de lateral ontem, além disso ele tem desempenhado a função quase no nível do titular da posição, alguém teve saudade do Ralf nos dois últimos jogos???

O Adilson vem fazendo algo similar com o Boquita, que aos poucos tem subido de rendimento e que poderá ser útil futuramente. É claro que não dá pra proceder o rodízio sempre bem, no jogo contra o Grêmio, quando perdemos os dois laterais titulares em uma tacada só, daí colocar um zagueiro pra jogar de lateral geralmente não dá certo e colocar no mesmo time outro jogador que não atua a uma era na lateral é complicado, casos de Leandro Castán e Moacir, respectivamente.

Na quarta teremos mais uma escalação diferente em campo, temos as voltas de Ronaldo, Jucilei, Ralf e William, mas perdemos o Paulinho por suspensão e talvez o Alessandro por lesão. Eu tenho duas escalações em mente:

Júlio César, Jucilei, Paulo André, William, Roberto Carlos; Ralf, Boquita, Elias, Bruno César; Ronaldo (Iarley no segundo tempo) e Jorge Henrique; ou

Júlio César, Jorge Henrique (volta para o ataque no segundo tempo), Paulo André, William, Roberto Carlos; Ralf, Jucilei (vai para a lateral direita no segundo tempo), Elias, Bruno César; Ronaldo (Boquita no segundo tempo) e Iarley.

Acho que a primeira tem mais chances pois tem menos modificações depois da saída do Ronaldo, mas vai saber o que se passa na cabeça do Professor Pardal...



Escrito por William às 10:22:15
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



 
[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]